Quinta-feira, 12 de Maio de 2011

this is hell and we can't leave.

Estendendo-me numa faixa anónima, é mais fácil. Ninguém me conhece a cara, nem como a minha voz pálida e fraca se consegue transformar em uma voz tão serena quanto a água, e tão feroz como uma fera. Ninguém me desconhece o nome, apesar de ninguém ter noção do que esse nome esconde. Ninguém sabe, nem faz a menor ideia, do que o meu nome esconde. É, primeiro que tudo, um nome de princesa. Um nome leve, mas que é capaz de se levar muito a sério. É um tanto obscuro, e a segunda letra condiz com a última. É um nome destruidor, de guerra, de mortes, de coragem. Meu Deus, continuam a achar que o meu nome é nome de princesa? Continuem. O meu segundo nome, é sim nome de princesa. Enquanto o meu primeiro nome era o significado de princesa, o meu segundo nome é mesmo de uma princesa. Eu cá não sou uma princesa, pelo menos não princesa de contos de fadas. Sou princesa do RockN'Roll, princesa das caveiras, ou de tudo o mais deprimente que existe neste planeta. O meu segundo nome é estranho, estranho, estranho. E nem sequer é português. Começa por A e acaba em A, e no meio desse nome, existe um H, o que não me agrada nada. Mesmo nada. É uma mistura exótica do que eu acho engraçado. Aquele nome é uma piada.  Não me orgulho de o ter, e sinceramente, preferia não o ter. É um nome até um tanto vergonhoso, e achei que o Renato fosse gozar mais quando o Pita lho disse. Mas ele não gozou de todo, provavelmente só para eu não ficar triste. Gosto dele à mesma. O meu terceiro nome, condiz com o meu quarto, a origem de muitas piadas. Não me incomodam de todo, até acho engraçado. Com o meu terceiro nome, realço a frescura das árvores e do mundo. É uma coisa que me realça, e me pega. Sinto-me mais confortável a senti-lo, mesmo que seja só um nome, é o meu nome. Agora o meu último nome, é o nome da Natureza. O nome com que a fotossíntese é feita, e o nome com o que arranco das árvores e fico a brincar. Gosto das verdes, das castanhas do Inverno, das cores das do Verão. Gosto de sentir, gosto de ficar.

Gosto de brincar e de olhar. Gosto de ti, e de mais ninguém.

Sara A. Fresco Folhas.

música: the uncanny valley, backing music

publicado por killua às 21:55
link do post | comentar | favorito
|
23 comentários:
De lostdreams a 12 de Maio de 2011 às 23:02
:) é a minha série preferida..

oh adorei este texto.. adoro a maneira com descreves o teu nome :)

beijinhos


De martha a 12 de Maio de 2011 às 23:14
obrigada *-*
sim, isso são boas ideias, agora inspiração para textos? sD


De Anónimo a 12 de Maio de 2011 às 23:24
Tá lindo mor :D


De martha a 12 de Maio de 2011 às 23:25
thank's.


De lostdreams a 12 de Maio de 2011 às 23:26
ah :)
não precisas de agradecer. só disse aquilo que acho.. está mesmo bonito o texto.
beijo


De lostdreams a 12 de Maio de 2011 às 23:27
estou a seguir-te no tumblr (espero que não te importes)
lá sou a cristianac


De lostdreams a 12 de Maio de 2011 às 23:39
ainda bem que voltaste. espero poder ler mais textos teus :)
de nada .


De lostdreams a 12 de Maio de 2011 às 23:42
ainda bem :)


De lostdreams a 12 de Maio de 2011 às 23:54
vão bem :) e por aí?


De Rita. a 13 de Maio de 2011 às 17:43
thanks my love.


Comentar post

mais sobre mim

pesquisar

 

Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


posts recentes

BOUT OF BOOKS CHALLENGE: ...

Top 10 Recs

121/1142

34/1001

...

esta rotina é um trauma

Wishlist - Sapatos

Futuro

i've been eating (for you...

4

tags

todas as tags

favoritos

need you like water in my...

Letters

blogs SAPO

subscrever feeds